ARTIGO

Tipos de empreendedorismo: em qual deles investir?

Data de publicação: 26.08.2021

Conjunto de processos/ práticas/ ações voltadas para a criação de negócios ou organizações. Essa é a definição básica do tão falado empreendedorismo. Realizado por necessidade ou oportunidade, o empreendedorismo é uma via de mão dupla com a inovação, visto que é a partir dela que os diferentes tipos de empreendimento se diferenciam dos outros.

Entretanto, inovar não é sinônimo de criar algo totalmente novo, mas sim utilizar conhecimento para aprimorar seu produto/serviço, seja esse processo tecnológico, prático, de durabilidade e etc.

Com o crescimento do cenário empreendedor no Brasil, crescem também as dúvidas sobre em qual modelo de empreendimento atuar. E como nós queremos que você tenha sucesso na sua empresa, separamos os 3 principais tipos de empreendedorismo no Brasil, para que possa conhecer com qual deles mais se identifica.

O cenário do empreendedorismo no Brasil

Segundo pesquisa realizada em 2018 pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM), 61,8% dos novos empreendedores no Brasil enquadram-se na categoria de oportunidade. Em contrapartida, o índice de pessoas que disse ter empreendido por necessidade caiu para 37,5% em 2018.

Dados de outro estudo realizado em 2019 pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM) em parceria com o SEBRAE, revelaram que em 2020 o Brasil deve atingir o maior patamar de empreendedores iniciais dos últimos 20 anos, com aproximadamente 25% da população adulta envolvida na abertura de novos negócios ou com negócios de até 3,5 anos de atividade.

Tais dados não consideraram a pandemia por COVID-19, visto que a mesma não existia. Entretanto, observações recentes do mercado revelam que o investimento no empreendedorismo é cada vez maior, visto que com o número de desempregados ultrapassando o marca de 12,850 milhões é necessária a busca por novas fontes de renda.

Os três principais tipos de empreendedorismo

Empreendedorismo de Franquias

Promovendo o recebimento de todo know-how de quem já tem uma experiência no mercado, o empreendedorismo de franquias diminui as chances de erro, principalmente em momentos de grandes incertezas, como o da pandemia por COVID-19. Além disso, esse tipo de empreendimento é mais assertivo em termos de retorno, visto que os franqueados passar por inúmeras mentorias de conduta que desenvolvem o empreendimento em todos os seus pontos. 

Extremamente buscado no país, o empreendedorismo de franquias teve em 2019 um crescimento de 5,9% em comparação ao ano anterior, disponibilizando uma receita de R$ 43,122 bilhões. Os dados são da Associação Brasileira de Franchising (ABF) e mostram que a é crescente a união entre o sonho do negócio próprio e a oportunidade de atuar com uma marca consolidada.

O empreendedorismo de franquias é voltado para pessoas físicas que optam por investir em negócios sólidos e com potencial de desenvolvimento. Em síntese, os franqueados seguem as orientações da franqueadora e colaboraram para a expansão da marca.

O investimento é feito de acordo com algumas variáveis, como, tipo de franquia e tamanho. Taxa de franquia, capital de giro e royalties da franquia são alguns dos valores que compõem o investimento geral.

Nesse cenário podemos citar alguns dados consolidados da rede de franquias Vox2you, primeira e maior rede de escolas de oratória da América Latina.

A Vox2you é uma empresa que mergulha de cabeça no Oceano Azul, ou seja, com muitaso portunidades e pouca exploração de mercado;

Payback rápido em 18 meses;

Break Even em 6 meses;

Baixa taxa de roysts;

Baixo custo de implantação;

Geração de equity, e também produção de valuation com o tempo.

Empreendedorismo Individual

Tendência recente no mercado, a modalidade de empreendedorismo individual permite que um profissional possa empreender por conta própria. Em linhas gerais, existem os seguintes tipos de atuação nessa modalidade:

MEI (Microempreendedor Individual) – Com faturamento anual de até R$81 mil;

ME (Microempreendedor) – Com faturamento anual de até R$360 mil;

EPP (Empresa de Pequeno Porte) – Com faturamento anual de até R$4,8 milhões.

Após conhecer os tipos de atuação do Empreendedorismo Individual, é fundamental saber também sobre quem pode se tornar um. E a resposta dessa pergunta é bem simples: qualquer pessoa pode se tornar um empreendedor individual, desde que não esteja vinculada (sócio ou titular) a outra empresa, e que tenha no máximo um empregado. Entretanto, deve-se salientar que o MEI se apresenta como a melhor opção para começar a jornada no empreendedorismo individual.

Essa opção pode ser justificada por alguns motivos, como:

Há opções para todas as faixas de faturamento e portes de empresa;

Cobrança simplificada – O empreendedor individual em regime MEI tem diminuição de inúmeras taxas e impostos;

Ausência de burocracia – Isso acontece visto que o processo de formalização da empresa pode ser feito pela internet;

Possibilidade de emitir nota fiscal – O registro possibilita o cadastramento na prefeitura local, de maneira a autorizar a emissão de notas fiscais e transmitir mais credibilidade e confiança no mercado.

Facilidade de iniciação e operacionalização no mercado, tornam o empreendedorismo individual uma opção viável para iniciar a trajetória no cenário empreendedor.

Fonte: https://bit.ly/3Df2thP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *