ARTIGO

Novembro Azul: Prevenir é sempre a melhor escolha

Data de publicação: 01.11.2017

Depois do mês de outubro ser marcado pela conscientização do câncer de mama com a campanha do Outubro Rosa, em novembro é a vez dos homens. O Novembro Azul é a campanha de conscientização do câncer de próstata e do reforço sobre a importância dos cuidados com a saúde masculina. O mês foi escolhido porque no dia 17 de novembro é o dia mundial da conscientização ao câncer de próstata.

O que é o câncer de próstata?

A próstata é uma glândula no espelho reprodutor masculino, responsável pela produção dos espermatozoides. A doença é manifestada quando as células desse órgão começam a se multiplicar desordenadamente, formando tumores que podem se espalhar por todo o corpo.

Segundo informações do Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de próstata é a segunda doença que mais mata brasileiros. Quando no estágio inicial não existem sintomas aparentes, só podendo ser detectada a partir de exames, por isso é tão importante que a partir dos 45 anos, os exames sejam realizados anualmente. Porém, quando já existem incidências da doença na família, o indicado é que o exame seja realizado a partir dos 40 anos.

Os sintomas

Como dito anteriormente, por ser uma doença silenciosa, os sintomas só aparecem quando a doença está no estágio avançado. Entre os sintomas estão:

 

  • Micção frequente.
  • Fluxo urinário fraco ou interrompido.
  • Vontade de urinar frequentemente a noite (Nictúria).
  • Sangue na urina ou no líquido seminal.
  • Disfunção erétil.
  • Dor no quadril, costas, coxas, ombros ou outros ossos se a doença se disseminou.
  • Fraqueza ou dormência nas pernas ou pés.
 

O diagnóstico

O diagnóstico é realizado através de alguns exames:

Antígeno Prostático Específico (PSA): Esse exame é realizado através da coleta de sangue. Quando o nível do PSA está acima de 4 ng/ml, é o indicador que o câncer está presente, porém, esse exame não é a certeza da ausência do câncer, já que cerca de 15% dos homens, mesmo com o resultado sendo abaixo de 4 ng/ml, podem ter a doença.

Exame de toque: Esse exame é realizado por um médico urologista. O médico usando uma luva descartável e com ajuda de um lubrificante, introduz o dedo indicador no ânus, passando pelo reto até chegar na próstata.  A glândula fica localizada na parte inferior da bexiga e tem o tamanho de uma noz. Durante o exame, ela é apalpada para verificar o seu tamanho e se existe a presença de nódulos.

É importante lembrar que o exame de sangue não substitui o exame do toque retal.

Fluxometria: Nesse exame o médico avalia a força do jato e a quantidade da urina, isso porque quando existe alteração na próstata o jato da urina fica mais fraco e lento.

Exame de urina de laboratório: Para o exame é recolhido uma pequena amostra da urina, para que possa ser feita uma avaliação, analisando se existe a presença de sangue ou de micro-organismo, que podem ser indicadores de infecções.

Ultrassom: Esse exame é de imagem, realizado para saber qual o tamanho da próstata.

Biópsia: Para realizar o exame é necessário retirar um pedacinho da glândula, para análise em laboratório. Através do exame é possível constatar se existe alterações na glândula, como câncer e tumores.

Todos esses exames são realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Quando a doença é detectada no início as chances de cura aumentam, por isso, o diagnóstico precoce faz toda diferença.

Cuide da sua saúde!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *